Kusturica

740580e1a41ab679b6c16df901e397ec-e1481043358261

E ao terceiro dia conforme as escrituras subi Na Via Láctea (On the milky Road). Como costureira à moda antiga vou alinhavar antes da primeira prova.

Logo no título a referência a Buñuel. Até no tempo Kusturica evoca o mestre surrealista.

Não percebo nada de filmes, a minha arte é a costura.

Vi, no princípio do filme, pano para mangas! Mas depois com aquele esplêndido tecido feito de rico fio, caiu a nódoa e acabou tudo num belo emaranhado de desperdício.

Se é exagero meu?

Talvez seja, mas como já ando nisto há tempo, já não pego em qualquer peça.

Na minha Ruteoria Kusturica começou muito bem o filme e depois perdeu a mão, e perdeu-a tanto que nunca mais a agarrou.

Gostei muito de ter visto o filme, ponto assente!

Não tenho a certeza da escolha de Mónica Bellucci, levei o filme todo nesta dúvida, se era essa a intenção do realizador, conseguiu!

Monica Bellucci não é uma actriz, Emir Kusturica não é um actor.

Alinhavo dado!

Mas então, teve essa vantagem à custa de ter perdido a espectadora da surreal ficção.

Prova feita.

Dou assim ponto por ponto vários rasgos de brilhantes cenas, o relógio, a campeã de ginástica, os ovos, o porco, o falcão, as cobras e os demais animais que com música foram orquestrando uma estapafurdice total.

Mas planos de génio só os gansos a aterrar na banheira de sangue e a noiva a correr pelo prado com o leite derramado.

Duas cenas não chegam para fazer um filme, nem para uma curta ou sequer para um spot publicitário.

Segunda Prova.

Não vou bater muito mais no mesmo ponto, nem posso dizer que esperava mais de Kusturica, mas queria uma longa metragem.

On The milky Road serve para separar o trigo do joio.

Não preciso de ir tão longe, não é genial, nem tão pouco original, Kusturica tornou-se comercial.

Choveu no molhado e nem sequer chorou no leite derramado, shame on him!

Eu que faço por medida, renovo a minha admiração pela alta costura, genial o clássico corte de Buñuel ou o contemporâneo de Almodovar

E a costura já vai longa e preciso rematar.

Consigo perdoar quase todas as falhas aos artistas, custa-me, Kusturica, a falta de humildade.

Fato acabado.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: